ATENÇÃO! Informe do Grupo de Empregos em Brasília...

Cada empresa é responsável pela a própria vaga divulgada, bem como, todas as informações que constam nela. Não cabendo ao grupo responder por nenhuma das vagas divulgadas.
Colabore com o nosso site clicando nos anúncios do Google diariamente, desde já, agradecemos!

Pesquisar

Desconfie de empresas que solicitam os dados de seus documentos.
O GEBE não possui relação com instituições do Governo. Lutamos contra o desemprego com recursos próprios!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Planejamento vai autorizar 300 vagas para fiscais agropecuários e 300 para médicos

HAMILTON FERRARI

Concurseiros, podem se preparar. O Ministério do Planejamento vai autorizar, entre quarta (19) e quinta-feira (20), concurso para o preenchimento de 300 vagas permanentes de fiscais agropecuários e de 300 postos temporários para médicos veterinários. A meta é reforçar a fiscalização sanitária no país, serviço realizado pelo Ministério da Agricultura. Os salários iniciais devem ser de R$ 13.166.

A decisão de ampliar o quadro de fiscais e médicos (todos classificados como analista fiscal agropecuário) decorre da crise que vive o serviço sanitário no país. O Brasil está perdendo mercados importantes para a carne bovina, como os Estados Unidos, por suspeitas de doenças devido à fiscalização deficiente.

A fragilidade do sistema sanitário foi exposta por meio da Operação Carne Fraca, deflagrada em março último pela Polícia Federal. Descobriu-se, ali, que fiscais recebiam propina para liberar a comercialização de produtos estragados. Somente a JBS, conforme depoimento de Joesley Batista, pagava “mensalinhos” de até R$ 20 mil.

O governo vem fazendo um amplo trabalho de divulgação da carne brasileira. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, tem feito um périplo pelo mundo para tentar derrubar barreiras que foram impostas à carne nacional depois da Carne Fraca. Nos últimos dias, esteve nos Estados Unidos. Ele acredita que o mercado norte-americano para o produto brasileiro será reaberto em 60 dias.

O Ministério da Agricultura tem reclamado, sistematicamente, da falta de fiscais. Muitos profissionais se aposentaram nos últimos anos ou estão em idade de saírem da ativa. Isso torna a fiscalização mais frágil, o que foi colocado por vários dos parceiros comerciais do Brasil.

O Planejamento reconhece que o momento é de aperto orçamentário, mas ressalta que há áreas do serviço público que precisam ser reforçadas. Uma delas é a de fiscais agropecuários. Outra, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), para a qual foi autorizado concurso com 300 vagas.

Diante da premência de se reforçar o quadro de fiscalização do Ministério da Agricultura, a perspectiva é de que o edital para o preenchimento das 600 vagas seja publicado ainda neste segundo semestre, para que a seleção ocorra até o fim do ano.

Fonte: Correio

Faça sua PÓS a distância no conforto de sua casa!

Cursos Online na Área de Pós Graduação

Viagem e/ou Hotel em Promoção

Booking.com